Tempo de amar

Tempo de amar

Novela , 1952

Rocco

Pouco a pouco, toda a obra de Autran Dourado vem sendo reeditada pela Rocco, com textos revistos pelo autor e capas novas criadas pelo artista plástico Ciro Fernandes. E chegou a vez da maior das raridades deste que é um dos mais brilhantes escritores brasileiros: Tempo de amar, seu primeiro romance, publicado originalmente em 1952. Na época, o genial prosador mineiro tinha apenas 26 anos, mas já apresentava todos os ingredientes que se tornariam marcas registradas de sua literatura: os personagens fracassados cujas vidas se arrastam, os perfis psicológicos bem delineados, as palavras escolhidas a dedo e a cuidadosa carpintaria das frases, construídas com a perfeição de um grande mestre.

A figura central de Tempo de amar é Ismael, um homem que prefere o brilho das recordações de infância ao presente grotesco. Quando era criança, no início do século XX, tudo parecia perfeito: a próspera Fazenda dos Mamotes, onde seu avô, o coronel Eupídio Silveira, abrigava toda a família; o açude onde tomava longos banhos com a irmã, Ursulina, e a prima, Tarsila; o cheiro do bolo de fubá da avó, dona Ritota; as brincadeiras típicas da idade. Mas tudo isso foi ladeira abaixo depois do dia em que sua irmã morreu afogada bem na sua frente, aos 9 anos, sem que ele tivesse a iniciativa de tentar salvá-la. Era sua característica apatia começando a dar sinais.