As palavras

As palavras

Antologia / Seleção , 2013

Rocco

Mergulhar em As palavras, livro que reúne fragmentos da obra de Clarice Lispector, com curadoria de Roberto Corrêa dos Santos, é quase como presenciar uma declaração dupla de amor. Amor do acadêmico e pesquisador pela obra de Clarice, que transparece na seleção das frases, pinçadas com o intuito de revelar a genialidade da escrita da autora e de inserir o leitor em seu universo poético. E amor de Clarice pela vida, pela busca incessante em tentar expressar em palavras aquilo que parece indizível: os sentimentos, o mundo interior. 

A seleção inclui todo tipo de escrita realizada pela autora. Há desde trechos de romances, contos e crônicas, até cartas e anotações pessoais. Apesar de não cobrir toda a obra da escritora, o livro dá conta de boa parte dela. As frases revelam Clarice em diferentes etapas de sua vida, já que estão presentes trechos de seu romance de estreia, Perto do coração selvagem, escrito quando ela tinha apenas 19 anos, até fragmentos de seu último livro, Um sopro de vida, publicado postumamente em 1978.

A leitura da sucessão de frases traz a impressão de que estamos diante da fala da própria autora, de suas crenças sobre a vida. Mas, ao mesmo tempo, aproxima o leitor do que está sendo dito, favorece a identificação. “Tempo para mim significa a desagregação da matéria”, afirma a narradora de Um sopro de vida. “Que ninguém se engane, só consigo a simplicidade através de muito trabalho”, diz o narrador de A hora da estrela. “A atualidade sou eu sempre no já”, revela um dos trechos de Água viva