Entrevistas

Entrevistas

Obra jornalística , 2007

Rocco

Entre maio de 1968 e outubro de 1969, já consagrada na literatura brasileira, Clarice Lispector manteve uma seção na revista Manchete, onde publicava entrevistas com figuras importantes da cultura do País. Sob um título condizente com o de boa parte de sua obra – "Diálogos Possíveis com Clarice Lispector", a seção trazia um pouco do mundo dos amigos da escritora, que discorriam sobre diversos temas, pontuados com observações da especialíssima repórter, que voltou às entrevistas em fins de 1976, na revista Fatos e Fotos: Gente, onde permaneceu até outubro do ano seguinte, dois meses antes de morrer. Algumas das conversas de Clarice estão em Entrevistas – Clarice Lispector, que, mais do que contar a vida e opiniões de personalidades como Nelson Rodrigues, Ferreira Gullar, Emerson Fittipaldi, Oscar Niemeyer e Vinícius de Moraes, revelam muito da escritora e do comportamento naquelas épocas.

Da mesma maneira que apresentadores de talk shows recebem seus convidados atualmente, Clarice mostra intimidade com os entrevistados. Uma intimidade que permite comentar com o então jovem e solteiro Chico Buarque que seu ar de "bom rapaz" faz dele o genro ideal para "todas as mães com filhas em idade de casar" ou que a autoriza a telefonar para "uma das esposas" de Vinícius de Moraes e perguntar como ela se sente casada com o poeta.